© 2019 by Karin blogs about.

  • White LinkedIn Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • Karin Heuert Galvão

Professores Nativos e a Ilusão de Sucesso na Aprendizagem de Inglês

Antes de mais nada, deixe-me esclarecer que este post não é para atacar professore nativos e muito menos para dizer que professores nativos não são bons (eu mesma tenho amigos que são professores nativos e são excelentes), é uma reflexão e um alerta ao consumidor e aluno de inglês como língua estrangeira.

Algo que todo professor de inglês brasileiro precisa enfrentar, inclusive eu, neste mercado de ensino de inglês é o fato de que muitas escolas e professores independentes vangloriarem os passaportes de professores nativos, como fator essencial de convencimento do consumidor de que ter aulas com um estrangeiro é muito melhor. Nas minhas quase duas décadas como professora de inglês, 2019 foi o ano que mais encontrei esse discurso vindo não somente das instituições de ensino e professores, mas também do consumidor final, leia-se: aluno.

Aí você deve estar se questionando: "Eu não tenho o direito de ter aula com quem eu quiser?" Opa! E como tem! Mas meu caro leitor, busque qualificação. Seu professor ter passaporte "gringo", não é indicação direta de qualidade, muito menos de certeza de aprendizado, é sim, meu caro leitor, uma grande ilusão.

"Mas Karin, meu professor brasileiro tem sotaque!" Amigo, na boa, todo mundo tem. Até o professor nativo tem (mas isso é um assunto técnico para outro post). Agora, você já se perguntou se o seu professor tem proficiência no idioma? Ou seja, se ele tem nível C1 ou C2 de acordo com o CEFR. Você já se perguntou se ele tem certificados internacionais em ensino de inglês? Por exemplo, CELTA ou TKT. Se ele está em busca de constante evolução a partir da participação em eventos, workshops e treinamentos em geral? Por exemplo, fazer parte de associações de professores de inglês tanto no Brasil, como internacionais, tais como BRAZ-TESOL , IATEFL ou TESOL. Seu professor te olha no olho e presta atenção em você ou ele quer ganhar uma "graninha" depois do expediente como engenheiro, administrador, TI, etc.? Ele faz um "precinho baratinho"? Um "descontinho"? - Ahn! Mas ele é gringo, né?

Querido leitor, você bem sabe como provar-se como profissional é uma constante luta num país como Brasil, imagine se você ainda professor e brasileiro?

Para você, leitor, que procura evoluir de fato em seu aprendizado na língua inglesa, segue abaixo algumas dicas, para você acabar não comprando gringo por lebre. Oops! Gato por lebre.

Quem é seu professor? Você conhece o currículo dele?Quais são as visões, métodos e abordagens de ensino que seu professor usa? Elas estão alinhadas com as suas?Seu professor está em constante desenvolvimento profissional? Ou ele não faz cursos há anos?Seu professor compreende suas necessidades e as respeita?Seu professor quer ver o seu sucesso? Ou está ali para ganhar uma "graninha" depois do expediente?

Por isso, caro leitor, lembre-se que o seu aprendizado também é sua responsabilidade, e contratar um profissional adequado é condição de sucesso. Saia da ilusão, e contrate qualificação.


Post publicado em 13/12/2019 via LinkedIn.